segunda-feira, 17 de julho de 2017

5 anos após Reforma Trabalhista na Espanha, 34% dos trabalhadores ganham menos de um salário mínimo


Os últimos dados, que são de 2015, mostram que 47% dos trabalhadores espanhóis ganha menos de mil euros por mês, essa é a proporção mais alta desde que começou a crise. Exatamente: mesmo no auge da crise não haviam tantos trabalhadores ganhando tão pouco.

O maior alerta é que 34,4% dos trabalhadores ganha menos de um salário mínimo. A proporção dos trabalhadores em condição de pobreza extrema vem aumentando desde a reforma trabalhista, ocorrida em 2012.

Melhora na economia não refletiu melhores salários

Segundo o Gestha, órgão governamental espanhol, a atividade econômica, alta do PIB e benefícios a empresários não se refletiu em melhores salários. Os empresários embolsam o lucro.

O número de diretores de corporações ganhando salários acima de 300 mil euros ao ano subiu para 136.502 pessoas. Essas 136.502 pessoas ganham mais que os 5,7 milhões de trabalhadores com salários mais baixos juntos.
A reforma trabalhista, que fez a Inglaterra ver miséria e salários baixos pela primeira vez em sua história nos tempos de Thatcher, agora faz a Espanha ver a desigualdade social disparar.
Informações : Plantão Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário