sexta-feira, 29 de abril de 2016

Janaína se enrola e apoia argumentos para impeachment de Temer

Ao responder pergunta de Randolfe, advogada pensa que decretos foram assinados por Dilma e exige impeachment. Constrangida, volta atrás no "parecer"
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi protagonista de um momento inusitado durante a participação da advogada Janaína Paschoal, uma das autoras do pedido de impeachment contra Dilma Rousseff, na comissão especial do impeachment do Senado na noite de quinta-feira (29).

Rodrigues fez uma explanação sobre a edição de créditos suplementares específicos feitos pela Presidência da República em 2014 e 2015 e, em seguida, pediu a opinião de Janaína sobre o tema. Com um detalhe: ele deixou de falar que essa atitude foi de responsabilidade, na verdade, do vice Michel Temer.
A jurista defendeu, então, que os créditos suplementares sem a autorização do Congresso Nacional são crime de responsabilidade e devem ser punidos com o impeachment.
“Muito bem, fico feliz com sua opinião, porque a senhora acabou de concordar com o pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer. Essas ações que eu li foram tomadas pelo vice”, disse Randolfe, a deixando visivelmente constrangida.
Poucas horas antes, a advogada havia dito que não existiam razões para pedir o impeachment de Temer. “O vice-presidente, normalmente, assina documentos na ausência do presidente por delegação”, tentou se explicar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário