quinta-feira, 31 de março de 2016

Ato em defesa da democracia reúne 200 mil em Brasília-DF

Na quinta-feira (31) a capital federal amanheceu com uma grande movimentação nas principais vias da cidade.
Neste dia, milhares de militantes da própria capital e de outras localidades do País chegavam de viagem com suas delegações. Mesmo com um ATO convocado para a capital federal, os estados e municípios do País não deixaram de estarem mobilizados ocupando as principais ruas e avenidas dos estados brasileiros.
No dia 31 de março de 2016 , data em que o Golpe Militar de 1964 completou 52 anos, a população foi para às ruas para defender a democracia do Brasil que vive a toda momento ameaçada por uma tentativa de Golpe orquestrada por parte do Judiciário viciado e golpista, Imprensa manipuladora e pela oposição frustrada que tenta querer governar o País através do tapetão na tentativa do golpe.
Durante as falações e palavras de ordens, os manifestantes entoavam os gritos  " NÃO VAI TER GOLPE; VAI TER LUTA! " FORA CUNHA!", " O POVO NÃO É BOBO, ABAIXO A REDE GLOBO", " FORA MORO" , dentre outros.
Logo pela manhã os manifestantes estiveram concentrados ao lado do estádio Mané Garrincha e, às 17:00 horas saíram em marcha percorrendo as principais ruas de Brasília passando pela Esplanada dos Ministérios  até chegar no ponto final na Praça dos Três Poderes quando realizaram mais um ATO Público defendendo a democracia, a Presidenta Dilma Rousseff, o Ex Presidente Lula, o Partido dos Trabalhadores e todo o povo brasileiro que vive ameaçado pela Oposição Golpista representada principalmente pelos partidos PSDB, DEM e PMDB que procura todos os dias criar a INSTABILIDADE do País a fim de provocar crises politicas e econômicas através de climas de terrorismos.  
 " O dia 31 foi mais um momento importante para história do nosso País" Afirma Derlan Queiroz (Secretario de Relações do Trabalho da CUT Bahia e dirigente do Sindalimentção-Bahia). " Neste dia superamos as expectativas por que aguardávamos  100 mil pessoas e tivemos 200 mil pessoas presente no ATO" Finalizou o Sindicalista

Nenhum comentário:

Postar um comentário