terça-feira, 19 de maio de 2015

Anistia Internacional pede que caso do Cabula seja julgado ‘o mais rápido possível’

A Anistia Internacional afirmou, por meio de nota, que o inquérito do Ministério Público da Bahia que concluiu que as 12 mortes na Vila Moisés, no bairro do Cabula, foram realizadas por policiais militares confirma o que a instituição já havia apontado: “havia indício de execução sumária”. “A Anistia Internacional pede às autoridades competentes que o caso seja levado a julgamento o mais rápido possível, interrompendo assim o ciclo de impunidade que costuma marcar os casos de violência letal da polícia no Brasil”, escreveu. Ainda no comunicado, a ONG pede a preservação da vida das testemunhas, familiares e moradores do bairro do Cabula. “As pessoas têm sido vítimas de constantes ameaças e intimidações”, afirmou, ao completar: “A organização continuará acompanhando o caso e mobilizando seus apoiadores para pedir justiça”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário