quarta-feira, 18 de março de 2015

Encontro de Formação da CUT mobiliza capital e interior

A atividade contou com a participação de mais de 80 dirigentes sindicais
Site da CUT Nacional, escrito por Derlan Queiroz
Feira de Santana sediou o Encontro Baiano de Formação da CUT (EBAFOR 2015) com a participação de mais de 80 dirigentes sindicais de diversas categorias e regiões organizadas pela CUT-BA. Gênero e formação foram os temas centrais dos debates realizados nos dias 18 e 19 de março.

José Celestino Lourenço (Tino), secretário Nacional de Formação da CUT, destacou a importante atuação da CUT-BA na descentralização das ações da Política Nacional de Formação, contribuindo para interiorizar o Curso de Organização e Representação de Base (ORSB) e potencializar a estratégia das Regionais cutistas a partir da solidariedade de classe dos sindicatos em diversos territórios da Bahia.
Para Conceição Borges, secretária de formação da CUT-BA, o desafio de interiorizar ação sindical CUTista foi assumido coletivamente por sindicatos, lideranças, formadores/as que acreditam no papel da formação no fortalecimento da organização e lutas da classe trabalhadora em todo o estado.
A formação sindical ocupa um lugar estratégico para dialogar sobre os desafios da conjuntura de ataques aos direitos da classe trabalhadora e da democracia, na opinião dos diversos dirigentes sindicais, mas não pode ser compreendida como remédio pra todos os males.
Para Tino, a unidade dos trabalhadores e aliança da CUT com os movimentos sociais são condições fundamentais defender direitos, avançar nas conquistas por um novo modelo de desenvolvimento na qual a reforma política, a partir de uma constituinte soberana, exclusiva e com participação popular. Os atos em todo Brasil do dia 13 de março demonstraram nosso protagonismo em defesa da classe trabalhadora e dos interesses do povo brasileiro.
Aton Fon Filho, advogado e membro da Direção Nacional da Consulta Popular, afirmou que a palavra de ordem é a Constituinte da Reforma Política, Já! Não devemos esperar do Congresso Nacional mais conservador desde 1964 não poderá cumprir esta tarefa de mudar o sistema político brasileiro. O poder popular a partir da experiência e mobilização da classe trabalhadora é fator decisivo para uma verdadeira reforma política.
Messias Vale, coordenador administrativo e financeiro da Escola NE, ressaltou o papel cumprido pela Escola no debate desses e outros temas relevantes para o desenvolvimento regional do Nordeste e do país nos programas formativos da PNF/CUT. A criação do Fórum das CUTs do Nordeste pode ser um espaço para potencializar esta estratégia de intervenção no desenvolvimento sustentável e interiorização da organização sindical CUTista.
As propostas relacionadas à Estratégia da PNF na Bahia serão sistematizadas para contribuir nos debates do 14º CECUT-BA e do 12º CONCUT, no sentido de fortalecer o projeto político-organizativo da Central, na perspectiva da unidade capital-interior e campo-cidade por liberdade e autonomia sindical e por uma nova hegemonia na sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário