terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Nestlé : Em Feira de Santana, Sindicalistas reúnem com direção da empresa e exigem reintegração de trabalhadores e suspensão de demissões.


Na última terça-feira(20), dirigentes do Sindalimentação/Bahia, da FETIABA e da CUT estiveram reunidos com a direção da Nestlé em Feira de Santana para dialogar sobre assuntos de interesse dos trabalhadores.
Após as repercussões ocorridas por conta de demissões na unidade da Nestlé em Feira de Santana, um clima de insegurança de desemprego correu perante os trabalhadores e toda sociedade de Feira de Santana.
Preocupados em buscar alternativas para resolver a situação, os sindicalista atenderam o chamado da reunião com a Nestlé para juntos buscarem alternativas no sentido de garantir a manutenção dos empregos.
Ao dá início a reunião o dirigente Derlan Queiroz fez um breve relato sobre o quem vêem acontecendo, principalmente sobre a preocupação do sindicato ao que se refere ao processo de automatização da fábrica que, diretamente vêem prejudicando os trabalhadores. Em sua fala o dirigente ainda afirma que o sindicato e os trabalhadores querem uma relação respeitosa , visto que o diálogo transparente e fundamental para a busca de soluções plausíveis para resolver qualquer problema que seja na defesa dos interesses dos trabalhadores que não podem "pagar" o preço no avanço das transformações tecnológicas.
Posteriormente passou a palavra para direção da Nestlé que, durante a reunião, garantiu que não há interesse em realizar demissões em massa e que estava fazendo grandes esforços para trazer três projetos para Feira de Santana que, desta forma absorveria todos os trabahadores que estão supostamente em condições de desligamento por conta das linhas que estão no processo de automatização. 
O Presidente da CUT/Bahia, Cedro Silva fez todos questionamentos relembrando dos benefícios da Nestlé em sua instalação no município de Feira de Sanatana e ressaltou que a Central não admitirá de forma alguma que a Multinacional use dinheiro público para demitir trabalhadores. "Precisamos juntos antecipar a busca de alternativas para garantir os empregos destes trabalhadores" Afirma Cedro. " Nós estamos aqui não é para negociar demissões; exigimos a reintegração dos 23 companheiros que foram desligados em novembro/2014 e a garantia dos empregos daqueles companheiros que supostamente estão em situação de risco de desemprego; temos propostas e queremos dialogar a fim de solucionar esses problemas e que, para que se estabeleça uma boa relação de diálogo precisamos que a empresa se comprometa a chamar o sindicato para conversar em qualquer movimentação que seja no que diz respeito a desligamento de trabalhadores , independente de ser em massa ou individual" Finaliza Cedro Silva(Presidente da CUT/Bahia) . Ao retornar à palavra para direção da Nestlé, os sindicalistas tiveram a garantia que não haverá demissão em massa e que qualquer movimentação no sentido de desligamento de trabalhadores , previamente haverá um diálogo com o sindicato. Os também dirigentes da CUT/Bahia, Conceiçao Borges eJosenilton Ferreira Pereira reafirmaram a Luta da Central em defender os interesses dos trabalhadores e repudiaram a forma em que a Multinacional vêem tratando seus trabalhadores. " No ano passado denunciamos a Nestlé na Organização Internacional do Trabalho (OIT) e vamos cobrar as providências ; imaginei que as coisas tinha melhorado mas, continua na mesma" Comentou Josenilton Ferreira (Cebola). O dirigente do Sindalimentação Cawboy Neto levantou várias questões que vêem impactando negativamente na relação entre Nestlé X Empregados e garante que a luta do sindicato será constante em defesa dos trabalhadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário