quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Vale Tudo : A "pura" MARINA se alia ao filho do Governador da Ditadura para tentar ganhar as eleições

Em franca queda nas pesquisas eleitorais, a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, contradisse seu discurso mais uma vez. Depois de prometer se aliar “aos melhores”, na terça-feira (23), durante comício em Florianópolis (SC), Marina agradou, elogiou e pediu voto para o candidato ao Senado, Paulo Bornhausen, herdeiro de uma das mais tradicionais famílias do estado.
Meus amigos, vamos fazer a campanha de Paulo, para que ele seja o nosso senador”, afirmou Marina no ato político.
Deputado federal, Paulinho, como é conhecido na região, é filho de ninguém menos que o ex-senador Jorge Bornhausen,  que foi fundador da Arena, integrou o DEM e governou Santa Catarina como governador biônico, indicado pelos militares na ditadura.
Inimigo histórico do PT e de suas bandeiras, em 2005, Bornhausen, então senador, afirmou que o País ficaria “livre da raça” do PT “pelos próximos 30 anos”. Marina, à época, era filiada ao partido e ministra do Meio Ambiente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Mas a nova política de Marina tem discursos para todas as ocasiões. “O Paulo é herdeiro de um nome, de um pai que tem um posicionamento político. Não vou dizer que uma pessoa, por ter um laço de parentesco, deve ser punida ideologicamente por isso”, justificou.
Até aí, nenhuma novidade em relação às postura da candidata do PSB. No início desta semana, Marina autorizou o uso de sua imagem na campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) ao governo de São Paulo. No início do processo eleitoral, ela constrangeu a Executiva do PSB ao se negar a aderir ao palanque do tucano.

Protesto - Um grupo de 15 estudantes ligados à União da Juventude Socialista (UJS) protestou contra Marina em Florianópolis em razão de seu alinhamento com os Bornhausen e de suas manifestações contra a união homo afetiva e a criminalização da homofobia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário