quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Contac/CUT recebe carta sindical e é oficialmente reconhecida pelo Ministério do Trabalho e Emprego

No ano em que celebra duas décadas de história, lutas e conquistas, a Confederação Brasileira Democrática dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação (Contac/CUT) tem mais um grande motivo para comemorar.
A entidade, que reúne cerca de 180 sindicatos e representa um milhão e 400 mil trabalhadores, recebeu oficialmente do Ministério do Trabalho e Emprego a carta sindical, ou seja, passa a ser reconhecida como legítima representante dos trabalhadores do ramo a nível nacional.
O registro, publicado no Diário Oficial desta segunda-feira, dia 1º de setembro, já havia sido entregue a entidade em dezembro do ano passado, mas contestado posteriormente, somente agora, com a rejeição da ação pelo MTE, foi oficializado.

Atual presidente e um dos fundadores da Contac, Siderlei Oliveira avalia que mesmo com todas as restrições estruturais 
e financeiras, a entidade construiu sua história baseada num vigoroso trabalho de base. “Vivemos estes 20 anos sem arrecadação de verbas compulsórias do imposto sindical. Mesmo assim, construímos uma organização a partir de um trabalho das nossas entidades sindicais e com colaboração direta dos trabalhadores”, ressaltou.
Siderlei atenta que a Confederação nasceu com a premissa de ser diferente, em contraposição as práticas adotadas pela Confederação existente, buscando elevar a luta para além das questões salariais, adotando uma política que abrangesse toda a sociedade.
Já no ato de fundação, em 1994, a entidade mostrava seu viés combativo ao promover no centro de Porto Alegre uma ação contra os transgênicos com o intuito de alertar a população sobre o surgimento de um novo produto que traria graves problemas à saúde e ao meio ambiente.
"Não que a Contac precise ser legalizada pelo Estado, porque tem legitimidade na base, já organizava os trabalhadores do setor da alimentação e dava uma contribuição extraordinária ao projeto CUT de organização por ramo de atividade”, assinalou Vagner Freitas, presidente nacional da CUT. “Do ponto de vista ideológico, a combatividade, o trabalho e a dedicação não se alteram. Agora, com o reconhecimento oficial, a Contac terá mais estrutura material e financeira para continuar construindo o processo de organização dos trabalhadores”, completou.
Para ele, o reconhecimento vai fortalecer a luta para melhorar a qualidade de vida e o dia a dia dos trabalhadores da alimentação, como nos frigoríficos e outros setores, responsáveis por graves problemas relacionados à saúde, baixos salários e extensas jornadas.
Compromisso com os trabalhadores - sem condições financeiras e organizativas para atender todo o Brasil, a entidade focou nestas duas décadas em um trabalho específico em estados com grandes centros industriais, como Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais.
Na opinião do presidente da Contac, a legalização será o primeiro passo para que a entidade possa expandir a organização para outras regiões do País.
Já Vagner Freitas citou também que o reconhecimento ajudará na construção do acordo nacional de trabalho no setor da alimentação. “Isso vai fortalecer ainda mais o movimento sindical organizado, pois somente assim, que os trabalhadores terão representatividade”, disse.
A Contac/CUT engloba Federações que representam trabalhadores da alimentação nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Bahia, além de Santa Catarina que está em processo de criação. Possui forte organização dentro do setor frigorífico, representando mais de 80% dos trabalhadores.
Para comemorar o recebimento da carta sindical e seus 20 anos de fundação, a Contac organizará uma festa no dia 12 de setembro na sede nacional da CUT.
- Clique aqui e saiba mais sobre a história da Confederação

Nenhum comentário:

Postar um comentário