terça-feira, 19 de agosto de 2014

Datafolha: cresce aprovação do governo Dilma em SP


Datafolha: aprovação do governo Dilma sobe para 38%

A aprovação do governo Dilma Rousseff (PT), medida pela soma das avaliações "ótimo" e "bom" do governo, ficou em 38%, o número mais alto desde abril. Em julho, o porcentual era de 32%. 

Em  MG, 2º maior colégio eleitoral do País, 34% dos entrevistados consideram ótima ou boa a gestão da atual presidente.
Em São Paulo, o maior colégio eleitoral, com 22% do eleitorado, a aprovação à gestão Dilma  de  ótimo/bom somam 24%,  subiu um ponto porcentual em relação ao levantamento anterior (23%).

Enquanto a reprovação ao seu governo está, caiu  em 35%, uma melhora em relação aos 39% de reprovação de julho. A avaliação "regular" perfaz 39% das respostas. A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para cima ou para baixo. Em São Paulo, a pesquisa ocorreu nos dias 12 e 13 de agosto, com 2.045 entrevistados


No Rio de Janeiro, a reprovação a Dilma  caiu  de 32% no último mês para 29% agora
.
No Rio de Janeiro, os índices são de 24% para ótimo/bom; 45% regular e 29% ruim/péssimo. Na pesquisa anterior o Datafolha mostrava 32% de ruim/péssimo no Rio. A pesquisa ocorreu nos dias 12 e 13 de agosto, com 1.317 entrevistados

Em Minas, Estado do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, a aprovação a Dilma supera aqueles que reprovam o seu governo. Enquanto 34% consideram o seu governo ótimo/bom, os que dizem que é ruim ou péssimo são 26%.Minas é o segundo maior colégio eleitoral do país, com 11% do eleitorado.

Lá e em outros seis Estados não é possível traçar comparações porque é a primeira vez que o Datafolha faz esse tipo de pesquisa neste ano.

Dois Estados do Nordeste, Ceará e Pernambuco, têm as maiores taxas de aprovação ao governo.

No Ceará, o índice de ótimo/bom atinge 55% e é lá que Dilma recebe a melhor nota entre os oito Estados nos quais o Datafolha realizou a pesquisa: 7,2. Entre os cearenses que tem só ensino fundamental, a aprovação ao governo Dilma chega a 66%.

Em Pernambuco, 39% aprovam o governo, percentual praticamente idêntico ao do Rio Grande do Sul (38%), Estado em que Dilma ocupou cargos no governo estadual.
No Distrito Federal, Dilma teve a maior taxa de reprovação (40%) e recebeu a nota mais baixa (4,7).

DIVISÃO

O Paraná é o Estado em que o eleitorado aparece mais dividido sobre a avaliação a Dilma: um terço dos eleitores consideram o seu governo ruim/péssimo e 31% o avaliam como ótimo ou bom.

Como a margem de erro naquele Estado é de três pontos percentuais, há um empate entre os que aprovam e os que reprovam o governo.

No Rio Grande do Sul, também com margem de 3 pontos, o indicador de aprovação é de 38% (ótimo/bom); regular, 37%, enquanto 24% consideram ruim/péssimo.

O Distrito Federal apresenta a maior taxa de reprovação, 40%; os demais porcentuais são 23% de ótimo/bom e 36% regular, com margem de erro de quatro pontos porcentuais, para mais ou para menos. Nos dias 12 e 13 foram 736 entrevistados (TSE: DF-00029/2014).

Nenhum comentário:

Postar um comentário