segunda-feira, 30 de junho de 2014

2 de Julho :Sindicatos sairão às ruas para reafirmar as bandeiras de luta dos trabalhadores do estado

“Percorreremos as ruas da Lapinha ao Campo Grande com o espírito de que somos os protagonistas das principais mudanças da classe trabalhadora nos últimos anos e temos o papel de continuar ajudando a construir um país cada vez melhor”, disse o presidente da CUT, Cedro Silva.
Após a divulgação da Resolução Política aprovada por unanimidade durante a 10ª Plenária Estatutária realizada no início do mês de junho (documento em que apontou os rumos da luta da classe trabalhadora do estado para os próximos meses), a CUT Bahia assumiu o papel de levar as principais pautas deliberadas durante o encontro estadual ao conhecimento de centenas de pessoas que se reúnem todos os anos no tradicional cortejo cívico do 2 de Julho, data em que é comemorada a independência do estado.
Com a temática “CUT nas ruas construindo um país melhor”, dirigentes sindicais, representantes de movimentos sociais, lideranças políticas e a militância cutista se concentrarão a partir das 6 hs da manhã no Largo da Lapinha, em frente ao Posto BR e seguirão ao som de uma fanfarra pelas ruas do Barbalho, Santo Antônio, Terreiro de Jesus em direção ao Campo Grande. Ao final do cortejo uma tradicional feijoada será oferecida aos participantes.

A idéia este ano, de acordo com o presidente da CUT-BA, Cedro Silva, é fazer um resgate da trajetória da Central nos seus 30 anos de existência e reforçar a importância e o papel da CUT estadual em defesa do interesses dos trabalhadores da Bahia. Entre as principais bandeiras de luta estão a continuidade da valorização do salário mínimo, valorização das aposentadorias, redução da jornada para 40 horas semanais sem redução de salário; fim do fator previdenciário; correção da tabela do IR, negociação coletiva no setor público; reforma agrária e política agrícola; combate à demissão imotivada; salário igual para trabalho igual ; mais investimento públicos, entre outras pautas.“Acompanharemos os carros do Caboclo e da Cabocla, símbolos que homenageiam os batalhões e os heróis de 1823 e representaremos neste dia os heróis e heroínas que estão na batalha diária com as bandeiras em punho. Estas são as nossas armas. O desfile é um bom momento para o fortalecimento da nossa unidade, força e do protagonismo dos guerreiros do cotidiano”, afirmou.

Cedro fez um comparativo entre a data comemorativa com a história dos 30 anos de existência da Central que nasceu e vive até hoje em meio às lutas e manifestações populares, que levou a voz do trabalhador aos quatro cantos do país. “Há muitos anos consagramos o heroísmo popular e a vontade de vencer de lideranças como Labatut, Lima e Silva, João das Botas, Maria Quitéria, entre tantos outros que nos levou à vitória. O cortejo cívico para os trabalhadores que lutam conosco há trinta anos para vencer guerras como a desvalorização do trabalho, a conquista por melhores salários e mais dignidade, tem se renovado a cada vez que nasce o sol ao Dois de Julho”, disse.

O presidente CUTista conclamou toda a base para reunir as bandeiras de luta de cada categoria e levar os pleitos ao conhecimento de todos. Ele lembrou também que o desejo da continuidade do projeto de mudanças que esta em curso é uma das bandeiras que serão defendidas durante o cortejo. “Manifestaremos o nosso apoio ao projeto da classe trabalhadora. Estamos com Dilma e Rui e a sociedade baiana precisa saber de que lado o trabalhador está”, afirmou.

Para concluir, o presidente lembrou que as lutas sindicais por melhores salários e condições de trabalho também terão destaque durante o cortejo. “São lutas de categorias que já estão em andamento e outras que iremos travar. Quero dizer aos trabalhadores que toda batalha que precisar ser travada em defesa dos trabalhadores do nosso estado, travaremos; seja na disputa eleitoral ou nas campanhas salariais, teremos lado e o lado é o lado do projeto dos trabalhadores”, mas adiantou: “Iremos ao cortejo cívico com sentimento de que sabemos exatamente o que queremos; estamos programados, organizados e com as diretrizes nas mãos. Portanto, sairemos às ruas em espírito combativo e de luta para fazer valer todas as nossas decisões com a certeza de que não seremos meros coadjuvantes em nenhuma batalha”, pontuou.

Data Histórica

Em um gesto de reconhecimento a uma parte importante do processo de independência do Brasil que teve a Bahia como cenário, a presidente Dilma sancionou em 05 de junho de 2013 a lei que inclui o 2 de Julho, dia que marca a Independência do Brasil na Bahia, como data histórica do calendário de efemérides nacionais.



Fonte: CUT Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário