quarta-feira, 26 de março de 2014

Exclusivo : Gabrielli fala sobre a Refinaria de Pasadena

Entrevista inédita com Gabrielli sobre a refinaria de Pasadena!
A Petrobrás é a menina dos olhos do Brasil.
Para este blog, que se pretende nacionalista, patriótico e desenvolvimentista, a empresa é tratada com um carinho especial.
Essa é a diferença principal entre a cobertura que fazemos do caso Pasadena e aquela feita pela grande mídia, historicamente interessada na sua privatização.
A primeira coisa que um colunista da Veja disse, ao ser entrevistado por um site especializado em finanças, que lhe perguntou sobre o que achava do imbróglio envolvendo a refinaria de Pasadena, é que todos os problemas da Petrobrás seriam resolvidos se ela fosse privatizada.
Então é isso que está em jogo. Um grande apetite internacional por nossas riquezas recém-encontradas no fundo do mar, avaliadas em trilhões de dólares. E por nossa garota preferida, a Petrobrás.
O ataque especulativo à Petrobrás é violentíssimo, e dá resultados. A cotação da estatal baixa e eles – fundos de investimento, especuladores, indústrias petrolíferas – compram ações. Se eles fazem guerras trilionárias para obter um pouco de petróleo no oriente médio, porque teriam pudor de manipular o mercado de ações para ampliar seu domínio sobre nosso patrimônio?

Acusam o governo de ter aumentado em tantas vezes o “endividamento” da Petrobrás, como se esse endividamento não fosse justamente a ampliação da estrutura de captação de petróleo que nos fará ganhar trilhões de dólares ao longo dos próximos vinte ou trinta anos.
Entrevista inédita com Gabrielli sobre a refinaria de Pasadena!
A Petrobrás é a menina dos olhos do Brasil.
Para este blog, que se pretende nacionalista, patriótico e desenvolvimentista, a empresa é tratada com um carinho especial.
Essa é a diferença principal entre a cobertura que fazemos do caso Pasadena e aquela feita pela grande mídia, historicamente interessada na sua privatização.
A primeira coisa que um colunista da Veja disse, ao ser entrevistado por um site especializado em finanças, que lhe perguntou sobre o que achava do imbróglio envolvendo a refinaria de Pasadena, é que todos os problemas da Petrobrás seriam resolvidos se ela fosse privatizada.
Então é isso que está em jogo. Um grande apetite internacional por nossas riquezas recém-encontradas no fundo do mar, avaliadas em trilhões de dólares. E por nossa garota preferida, a Petrobrás.
O ataque especulativo à Petrobrás é violentíssimo, e dá resultados. A cotação da estatal baixa e eles – fundos de investimento, especuladores, indústrias petrolíferas – compram ações. Se eles fazem guerras trilionárias para obter um pouco de petróleo no oriente médio, porque teriam pudor de manipular o mercado de ações para ampliar seu domínio sobre nosso patrimônio?
Acusam o governo de ter aumentado em tantas vezes o “endividamento” da Petrobrás, como se esse endividamento não fosse justamente a ampliação da estrutura de captação de petróleo que nos fará ganhar trilhões de dólares ao longo dos próximos vinte ou trinta anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário