domingo, 10 de novembro de 2013

Candidato aponta sinais de manipulação na eleição petista


A um dia do Processo de Eleição Direta (PED) do Partido dos Trabalhadores (PT) a direção estadual da legenda busca alternativa para tornar aptos a votar o governador Jaques Wagner e outras centenas de filiados que estão irregulares com as obrigações partidárias.
O problema é que não existe, conforme ressalta o candidato à presidência estadual do partido Ernesto Marques, previsão regimental para dar vazão a nenhuma das opções apresentadas até o momento. De acordo com o radialista, qualquer medida fora do que estabelece o estatuto petista será interpelada.
“Perder ou ganhar faz parte de qualquer processo. Não vou admitir que sejam utilizados métodos sem previsão legal. Vou chutar o balde. Acendi a luz laranja diante de sinais de manipulação que podem alterar o resultado da eleição”.
Segundo Marques, a decisão de permitir a quitação dos débitos através das direções estadual e municipal não encontra respaldo no regimento petista. “Ouvi um papo de segunda lista para os que estão inaptos, além de urnas sendo colocadas em lugares não previstos e sem possiblidade de fiscalização”.

Indignado com o procedimento, o radialista reforça a tese de que não vai se esconder atrás de argumentos utilizados para não manchar o partido. Ao contrário, promete recorrer a todas as alternativas previstas para impugnar qualquer desvio.

Sobre a possibilidade de o governador votar, Ernesto declarou que não acredita nesta exposição potencialmente negativa do timoneiro do projeto. “A decisão de segunda lista foi tomada em uma reunião com apenas seis membros da Executiva – são 19 no total – não existe nem legitimidade para isso. Não havia quórum deliberativo”.

Correndo por fora no processo, já que Everaldo Anunciação conseguiu arregimentar a maior parte das correntes do partido e deve sair vitorioso com mais de 70% dos votos, Ernesto garante que vem cumprindo seu papel de trazer o partido para a discussão e promover o debate político.

O radialista aponta outro “desvio” na condução do processo. “Desde que me entendo por gente. Desde o início da minha caminhada profissional, há 27 anos, assino Ernesto Marques, mas na cédula colocaram meu nome como Ernesto Dantas. É um absurdo”.

A reportagem do Bocão News ligou diversas vezes para o candidato Everaldo da Anunciação sem sucesso

Nenhum comentário:

Postar um comentário