sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Intolerância à lactose deve ser tratada com retirada temporária de leite e derivados

Um dos problemas que acometem pessoas de todas as idades, mas principalmente bebês após o desmame - quando a criança passa a se alimentar com outros alimentos além do leite materno - é a intolerância à lactose (gordura presente no leite e seus derivados). Nessa passagem em que o organismo naturalmente reduz a atividade de processamento da gordura, problemas com má absorção e digestão incomodam os pequenos. Isso porque a lactose, não hidrolisada (processo químico), passa direto para o cólon, maior porção do intestino grosso e último canal do tubo digestivo, sem ser absorvida no intestino delgado. Depois de uma série de reações nesse local ocorre sua fermentação que pode causar dor abdominal e desconforto intestinal, como sintomas típicos que incluem dor abdominal, sensação de inchaço no abdome, flatulência, diarreia, arrotos e, particularmente nos jovens, vômitos.
Para tratar o problema, deve-se fazer a retirada temporária de alimentos ricos em lactose até não haver mais sintomas. Depois, é recomendado reintroduzir aos poucos esses alimentos e observar. Um alerta que os especialistas recomendam é que a eliminação total e definitiva da lactose da dieta deve ser evitada por conta de prejuízos nutricionais em cálcio, fósforo e vitaminas. A orientação para o controle dos sintomas deve ser feita por um médico e/ou nutricionista. Informações da Agência Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário