quinta-feira, 15 de agosto de 2013

PT Bahia não consegue unidade partidária e cinco candidatos disputam PED


O PT Bahia bem que tentou, mas a unanimidade em torno da candidatura de Everaldo Anunciação, não foi atingida. Para o Processo de Eleições Diretas (PED), que acontece no dia 10 de novembro, cinco chapas foram inscritas. Apesar disso, o presidente do partido, Jonas Paulo, continua confiante que seu sucessor será Anunciação.
A primeira chapa “O partido é a militância” é encabeçada por Hipólito de Brito; a segunda “Partido de lutas e de mudanças” tem à frente secretário estadual de organização do partido, Everaldo Anunciação; Ernesto Marques, vice-presidente da Associação Baiana de Imprensa (ABI), encabeça a terceira chapa, “Partido mais forte”; a quarta chapa “Militância socialista” é liderada por Wanderson Pimenta; na última está Lourival Tranquilo, com a “Constituinte, terra, trabalho e soberania”.

Desses pode-se considerar competitivas as candidaturas de Ernesto Marques e Everaldo Anunciação que conseguiram articular apoio com tendências expressivas. Enquanto Marques recebe apoio do Movimento PT, Brasil Socialista e outros segmentos da CNB, Anunciação conseguiu se articular com a Construindo um Novo Brasil (CNB) - corrente liderada pelo ex-presidente Lula -, Esquerda Popular Socialista (EPS), Reencantar, Democracia Socialista (DS), Dois de Julho, Esquerda Democrática Popular (EDP).

As outras candidaturas buscam somente um espaço dentro do partido, como garante Jonas Paulo. “É um espaço democrático, mas as outras candidaturas buscam posições ideológicas dentro do partido, não tem competição. Eles buscam ter espaço dentro do partido”.

Ainda para o presidente, a eleição de Anunciação é praticamente garantida, já que ele recebe apoio de 10 deputados federais, dos quatro pré-candidatos ao governo (Rui Costa, José Sérgio Gabrielli, Walter Pinheiro e Luiz Caetano) e de 13 dos 14 deputados estaduais.

Para os petistas, a quantidade de candidaturas não significa divisão do partido e sim um processo democrático que o PT desenvolve. Sobre a candidatura de Marques, o deputado estadual Marcelino Galo o defende. “Essa é uma candidatura que tem um potencial forte. É preciso fazer um debate interno, uma reflexão profunda do momento político do nosso estado e Ernesto tem a capacidade para dialogar com essa conjuntura. Ele tem todas as possibilidades para ganhar e trabalhar bem pelo nosso partido”.

Nacional - No processo nacional, oito chapas estão inscritas, além da candidatura à reeleição de Rui Falcão. São encabeçadas por Markus Sokol, Valter Pomar, Carlos Henrique Árabe, Romênio Pereira, Jutai Moraes de Jesus, Gilney Amorim Viana, Francisco Rocha da Silva, Caio Dezorzi

Nenhum comentário:

Postar um comentário