segunda-feira, 12 de agosto de 2013

LABOVET : Trabalhadores cruzam os braços e entram em Greve por tempo indeterminado

Em Feira de Santana, a CUT-BA está apoiando a luta dos trabalhadores da Labovet (empresa de produtos veterinários), que ameaçam entrar em greve. O secretário de Organização e Política Sindical da CUT-BA, Josenilton Ferreira, o Cebola, reclama que a empresa continua emperrando as negociações com os trabalhadores e insiste em práticas antissindicais. "Estamos atentos e vamos defender os trabalhadores para que a empresa cumpra a lei. Queremos negociar e vamos continuar na luta", disse.
Em vez de apresentar avanços, a empresa tem intentado retirar vários direitos históricos da categoria. Além de ignorar a cobrança do sindicato em regularizar casos como registros na carteira com funções irregulares e os sobreavisos. Os companheiros são obrigados a ficar em casa, mas podem ser chamados a qualquer momento para trabalhar e depois a empresa não quer pagar o sobreaviso.
Veja abaixo boletim do Sindiquímica-BA/CUT, que evidencia a diferença de salários em comparação aos companheiros de São Paulo e traz a pauta de reivindicações encaminhada patronato no início das negociações. 

Boletim informativo da categoria química, petroquímica, fertilizantes, plásticos, brinquedos, terminais e produtos de limpeza
Especial Labovet
Greve por dignidade
Companheiros e companheiras, vocês e o sindicato buscaram a negociação com a empresa durante todo esse tempo. Mas, a direção da Labovet tenta reduzir várias cláusulas do nosso Acordo Coletivo. Tentou criar o banco de horas que é nocivo aos trabalhadores, pois, além de prejudicar a geração de empregos, aumenta a exploração dos empregados e, estatisticamente, esta prática tem levado a constantes aumentos na jornada de trabalho no Brasil. 
A Labovet busca reduzir para quatro meses a licença maternidade que na atualidade é de seis meses. O sindicato entende que esta é uma cláusula social, pois, tem relação direta com mães e filhos, e fica difícil entener por que a empresa não quer sua implementação. Tenta extinguir a complementação do auxílio doença. O mais grave é que a empresa provoca vários afastamentos que são resultado da forma de produção, marginalizando os companheiros. Se hoje a empresa quer reduzir o benefício, amanhã as vítimas poderão ser vocês. E também tenta extinguir o abono salarial que é um debate histórico e é uma conquista da categoria. 
Apesar dessas tentativas de redução dos benefícios do Acordo Coletivo, o Sindiquímica, assim como vocês, continua aberto à negociação e apontando as saídas para o fechamento da CCT. É inadmissível aceitar que os companheiros continuem a receber contracheques com saldos negativos ou valores muito baixos no final do mês. Apesar de apontar várias saídas, a intransigência da Labovet mostra o desejo de continuar explorando ainda mais os trabalhadores e trabalhadoras. 
Também temos cobrado as questões pendentes, mas a Labovet não responde, a exemplo, dos registros com funções irregulares na carteira de trabalho e os sobreavisos. Os companheiros são obrigados a ficar em casa mas podem ser chamados a qualquer momento para trabalhar, só que depois a empresa não quer pagar o sobreaviso. 
A empresa tem dito que a greve só está na cabeça do sindicato, sabemos que isso não é verdade, porque na Labovet tem homens e mulheres que querem mais dignidade. O pacto assumido por todos nas assembleias mostra a nossa união. Neste momento, o salário baixo, a exploração na jornada de trabalho, a assistência médica sem debate, a ausência de um plano de cargos e salários são motivos de sobra para a nossa indignação. Precisamos continuar mobilizados e se a empresa não der resposta as nossas reivindicações a greve será a única saída. Uma greve por dignidade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário