sábado, 29 de junho de 2013

Centrais sindicais negam adesão à greve geral na segunda-feira

Convocada em eventos no Facebook e outras redes sociais, a greve geral marcada para a segunda-feira (1º) não conta com o apoio das principais centrais sindicais do país. A Força Sindical e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) garantem que não há qualquer paralisação programada. "[O ato de] 1º de julho não é do movimento sindical, de nenhuma central, não é de nenhum sindicato, não é de nenhuma federação. É fria", definiu o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna. Segundo o dirigente, os eventos organizados pela internet criam informações desencontradas que não correspondem com a realidade. "O Facebook é apenas uma rede social, qualquer um escreve o que quiser.
O trabalhador deve seguir a orientação do seu sindicato", afirmou. "Quem convoca greve geral é sindicato e não eventos do Facebook", afirma a CUT em nota. O texto da central sindical acusa "grupos oportunistas" pela criação do evento na rede social. "A convocação para a suposta greve geral do dia 1º, que surgiu em uma página anônima do Facebook, é mais uma iniciativa de grupos oportunistas, sem compromisso com os/as trabalhadores/as, que querem confundir e gerar insegurança na população. Mais que isso: colocar em risco conquistas que lutamos muito para conseguir, como o direito de livre manifestação", critica a CUT. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário