terça-feira, 9 de abril de 2013

Itaú é condenado a indenizar funcionária que recebia amendoim quando não cumpria meta


O Itaú Unibanco foi condenado pela 2ª Vara de Trabalho de Florianópolis a pagar indenização de R$ 50 mil por danos morais a uma funcionária que sofreu assédio moral. A empregada trabalhava no sistema de metas e a exigência para que ela atingisse os objetivos era feita de forma vexatória pela gerente da instituição. A cobrança era realizada  por meio de bilhetes que, quando a meta não era atingida, vinham acompanhados de uma barra de chocolate Talento ou um pacote de amendoim. Como o fato de as guloseimas representarem baixo rendimento era do conhecimento de todos, o recebimento dos bilhetes acompanhados causava à autora da ação um grande constrangimento. A funcionária inclusive chegou a ser apelidada de "mulher do amendoim". Segundo a empregada, as exigências eram cada vez maiores, chegando a serem fixadas em 150%. Os funcionários que vendessem abaixo do estipulado eram ameaçados de demissão o que estabelecia um terrorismo competitivo entre os colegas. A gerente alegou que os doces eram uma forma de estimular as pessoas. Contudo, no entendimento do juiz a atitude denota cobrança abusiva. O magistrado diz que o empregador pode cobrar rendimento dos seus empregados, especialmente em atividades de extrema competição, como a de vendas. Mas a exigência de metas deve respeitar a dignidade do trabalhador e nunca estar condicionada à permanência no emprego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário