sábado, 6 de abril de 2013

Festival independente terá cabine do Banco Mundial da Genitália


Se eu contasse para você quantos e-mails recebo por dia perguntando quais as opções para quem quer aumentar o pênis, qual o tamanho que dá mais prazer para as mulheres ou se o tamanho realmente importa vocês ficariam chocados.
E não são apenas os homens que têm insegura em relação a sua genitália. Mulheres cada vez mais se preocupam com cor, forma e simetria da vagina. Além, é claro, da velha briga interior entre depilar ou não depilar-se totalmente.

Essa busca pela genitália perfeita é algo que tomou conta do mundo nos últimos anos e a tendência, com padrões estéticos cada vez mais influenciados por intervenções gráficas, a utilização do famoso photoshop é uma dos vilãs, é de que isso apenas piore. Tudo o que é natural parece errado e as cirurgias desnecessárias tornam-se práticas banais.
Por esse motivo estão surgindo no mundo todo sites em que é possível ver o corpo normal, sem retoques, apenas uma representação da verdade. É o caso do Nu Project, que fotografa mulheres normais nuas, do Great Wall of Vagina, que faz moldes em gesso de vaginas, e do Large Labia Project, que tem fotos bastante explicitas de vaginas, incentivando que mulheres não façam plástica por se sentirem fora do padrão com lábios vaginais grandes.
E no Brasil temos o Banco Mundial da Genitália. A proposta desse banco de fotografias é banalizar a imagem de pênis e vaginas, que são partes do corpo que praticamente todas as pessoas têm e não deveriam ser motivo de tantos problemas, vergonha ou tabus. Muito menos definir caráter ou ser motivo de discriminação.
No dia 12 de abril, como parte do Festival Baixo Centro, em São Paulo, haverá uma cabine fotográfica para que as pessoas possam participar do projeto. Além disso, serão colados lambe-lambes pela cidade com a intenção de divulgar o propósito do site.
Outros eventos também neste festival acontecerão de 5 a 14 de abril. Para participar basta escolher o que interessa e estar presente no local e data marcados. A festa é independente, sem apoio de governo ou instituições, gratuita e será realizada com dinheiro de doações feitas pela internet – para doar você deve usar o site Catarse.
Uma boa chance para rever seus conceitos estéticos, ouvir música, participar de oficinas artísticas e ver que o mundo pode oferecer muito mais do que as redes de TV e revistas de banca querem que você acredite. Além de, é claro, se apropriar da cidade que estava sendo esquecida por seus moradores. Dê essa chance para você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário