domingo, 17 de março de 2013

No Mato Grosso, TelexFree gera em três meses cerca de 2 mil telefonemas ao Procon

Investigada em pelo menos cinco estados por supostamente engendrar uma pirâmide financeira, a TelexFree tem sido a motivação pela qual o Procon de Mato Grosso tem recebido nos últimos três meses ao menos 20 telefonemas diários de pessoas inseguras quanto à legalidade e viabilidade econômica da empresa. O número é uma estimativa da superintendente estadual de Defesa do Consumidor, Gisela Simona Viana de Souza, que alerta a população para os riscos de um negócio "que não se sustenta". Segundo a superintendente, a maioria das pessoas que recorre ao Procon busca saber se o investimento em divulgação da TelexFree é lícito, se é seguro para quem depositar dinheiro no negócio e se, em caso de desistência por medo das atuais investigações, é possível reaver o valor investido.
As polêmicas envolvendo a empresa foram tema recente de debate nacional entre órgãos de defesa do consumidor estaduais e municipais de todo o país, informa Gisela, presidente da Associação Brasileira de Procons. As informações são do G1. Matéria do Bahia Notícias mostra que muitas pessoas atraídas pela perspectiva de lucro fácil e rápido já investiram na TelexFree, tanto no interior quanto na capital da Bahia e estão sem saber o futuro do negócio.

Um comentário:

  1. Para que o governo da licença para empresa funcionar e depois investiga a mesma da para entender ???

    ResponderExcluir