domingo, 9 de dezembro de 2012

Pedófilo na Ufba: "E se fosse um parente da juíza?", Dispara Deputada

A presidente da Comissão de Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), Luiza Maia (PT), se manifestou contra o retorno do 
estudante de medicina Diogo Nogueira Moreira Lima, de 25 anos, - que ficou preso por três anos por abusar sexualmente de 12 garotos -, à Universidade Federal da Bahia (Ufba): "Imagine se o pedófilo Diogo resolve ser pediatra? Sra. Juíza decida p proposta d UFBa. As famílias d vítimas, q sofrem até hoje, agradecem”, disparou a deputada estadual em seu perfil no Twitter na manhã deste domingo (9).
Em contato com o Bocão News, a deputada criticou a decisão da juíza Lilian da Costa Tourinho, da 16ª Vara de Justiça Federal, que determinou o reingresso de Diogo: “Uma barbaridade. Um absurdo que não tem precedente. Eu fiquei imaginando... E se fosse um parente da juíza? Eu fiquei estarrecida. O que se passa na cabeça dessa juíza? Ela deve rever a posição dela. Eu acho até que ele tem o direto de estudar, mas estudar medicina? E a família dessas crianças? Elas são daqui de Arembepe! A gente precisa proteger nossas crianças, nossos adolescentes”.

A autora da Lei Antibaixaria prometeu ainda colocar o caso na pauta de reunião da Comissão de Direitos da Mulher, na próxima quarta-feira (9), na Alba.

O caso

Em 2009, Diogo foi preso quando estava no oitavo semestre do curso, e ficou internado no Hospital de Custódia e Tratamento de Salvador. O acadêmico foi solto em setembro deste ano e recebeu um laudo técnico que avaliava plenas condições de convívio social.

E desde o seu retorno à instituição, Diogo encontra resistência por parte da direção da Ufba. "O problema é que ele tem um traço de personalidade que o torna incompatível para a medicina", afirmou à Folha de São Paulo o pró-reitor de graduação da instituição, Ricardo Miranda. O departamento de medicina já se manifestou contra a volta de Diogo e disse que vai recorrer da decisão da Justiça.

A família de Diogo conseguiu uma liminar que garante seu retorno à universidade. Mas a Ufba entrou na última quinta-feira (6) com um recurso contra à decisão liminar concedida pela juíza Lilian da Costa Tourinho.Informações Bocão News

Nenhum comentário:

Postar um comentário