sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

"Já começou mal", disse Hilton Coelho sobre ACM Neto

A rejeição das contas 2009 do prefeito João Henrique (PP) pela Câmara Municipal, além da reprovação das contas de 2011 julgadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) paracem que não ofuscaram o que para alguns edis, deveria passar despercebido. Com a reforma administrativa do prefeito eleito, ACM Neto (DEM) definida na madrugada do dia 13, além dos projetos aprovados como um Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU), alterações na Lei de Ordenamento do Uso do Solo do Município (Louos) e a renovação da concessão do Aeroclube-, a oposição agora desperta para o que chamaram de 'sessão dos horrores'.

Segundo o vereador eleito, Hilton Coelho (Psol), que concedeu entrevista na manhã desta sexta-feira (14) ao Programa do Bocão, na Rádio Sociedade, "foi uma coisa absurda e uma imoralidade para o poder executivo propor a aprovação de projetos que não se sabe o conteúdo.
Esta reforma administrativa? A Câmara não teve acesso ao conteúdo. Isto é um desrespeito com o povo de Salvador", afirmou o edil.



Ainda segundo Hilton, quando questionado sobre a provável manuntenção do secretário João Carlos Bacelar na pasta da Educação, o vereador criticou o democrata por considerar que existem irregularidades diante de denúncias já levantadas na imprensa sobre a Ong Píerre Bourdieur. "A gente vê um conjunto de irregularidades na secretaria de Educação e também na secretaria de Saúde. Falta tudo. Os contratos com as empresas terceirizadas apresentam uma situação obscura e irregular. Mas, infelizmente, o prefeito quer dar continuidade. Já começou mal" , disse.

Para Hilton, ACM Neto tem uma visão positiva da Educação do município, "que não é a visão dos professores. Achamos muito complicado esta manuntenção. Esperamos que o comportamento de respeito com a população seja alterado e não fique atrelado à posições subterrâneas e autoritárias. Falta à Câmara botar o pé no chão para conversar direto com as comunidades", ressaltou.

Reforma Administrativa

Confira detalhes da reforma administrativa proposta por Neto e aprovada na Câmara:



Casa Civil: “Cada gestor vai assinar um documento com metas a serem alcançadas e Casa Civil vai ter a coordenação e planejamento disso”, disse Neto. A pasta também vai gerir os novos projetos para Salvador.



Gestão: vai cuidar do orçamento, pessoal, contrato, previdência e informática.



Fazenda: sem alterações significativas.



Educação: a estrutura será semelhante à de hoje. Foram criadas a Diretoria de Ensino e Apoio Escolar e uma Diretoria de Esportes.



Reparação: sem alterações significativas.



Promoção Social e Combate à Pobreza: terá as mesmas funções da Setad, exceto qualificação de mão-de-obra, que vai pra outra secretaria. “Fará intervenções em áreas carentes da cidade”, disse Neto sobre a pasta.



Desenvolvimento, Turismo e Cultura: Vai cuidar do plano econômico da cidade. Terá ligada a ela a Saltur e a Fundação Gregório de Matos, que terá estrutura revista para se fortalecer. Isso será feito num segundo momento, quando a Saltur será repensada. “Minha ideia é separar a política de turismo do órgão que gere o calendário de eventos de salvador. O foco dessa secretaria será no empreendedorismo, qualificação profissional de mão-de-obra e articular com o setor privado investimentos para a cidade”.



Infraestrutura, habitação e defesa civil: “Trouxemos habitação para esse plano e elevamos a defesa civil ao primeiro escalão. Fica a ela vinculadas a Sucop, a Desal e a Coordenadoria de defesa civil. Tudo que era ligado à secretaria de Habitação antiga vem para essa nova pasta”, afirmou o democrata.



Urbanismo e transporte: Transalvador, CTS, Sucom e Fundação Mario Leal Ferreira estão ligadas a esta pasta, que terá a função de promover melhorias no que tange o trânsito da capital baiana, além de outras atribuições.



Ordem Pública: vai trabalhar no sentido de prevenção a violência e ordem pública.



Saúde: sem alterações significativas.



Cidade sustentável: dialoga como futuro . Vai dialogar com todas as áreas da prefeitura. A ideia é tratar a política do meio ambiente dentro dos padrões do que há de mais avançado do mundo.



Extinção da Secretaria de Comunicação:

Chamou atenção o fato de o prefeito eleito ter extinguido a secretaria de Comunicação. A prefeitura, portanto, terá uma assessoria de comunicação que terá status de secretaria. Para que isso não trouxesse custos, Neto tirou da Ouvidoria o status de secretaria. Manteve a vice-prefeitura e a procuradoria, além de ter acrescentado a assessoria.



(Clique aqui e veja a matéria completa do repórter Marivaldo Filho sobre a sessão na Câmara) Informações Bocão News

Nenhum comentário:

Postar um comentário