terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Camamu: juiz determina realização de nova eleição


O juiz titular da 78ª Zona Eleitoral, em Camamu, João Paulo Guimarães Neto, anunciou a anulação da eleição para prefeito no município. Em entrevista coletiva concedida na tarde desta segunda-feira (10), o magistrado divulgou a sua decisão. No pleito, mais de 50% dos votos válidos foram dados a candidatos que tiveram o registro de candidatos indeferidos.

A medida, em primeira instância, ainda pode ser alterada, pois cabe recurso ao próprio Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e ainda que seja mantida a decisão, o interessados podem ir ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na cidade, os candidatos Américo José da Silva (PSD) e Ioná Queiroz Nascimento (PT) – que tiveram negados os pedidos de registro – receberam 5.728 votos e 4.128 votos, respectivamente, dos 18.406 apurados.
A soma dos votos dados os dois postulantes superou os 11 mil, enquanto apenas 6 mil foram distribuídos entre os adversários.

Data

Caberá ao TRE-BA, caso a decisão seja mantida pela Corte, a definição da data de realização das novas eleições. Em Camamu, a solenidade de diplomação será realizada apenas para os eleitos vereadores. Assume a gestão da cidade, até a escolha do novo gestor, o presidente da Câmara Municipal.

A candidata Emiliana de Zequinha da Mata (PP), primeira colocada na disputa ao cargo de prefeito do município, substituiu o então candidato da chapa do PP, Zequinha da Mata (que teve o registro indeferido), em 6 de outubro, véspera da eleição. Na apuração para o cargo de prefeito, ela levou 5.993 votos válidos (32,56 %). Américo, também com o registro indeferido, obteve 5.729 votos (31,13 %). Chico Vasconcelos ficou com 911 votos (4,95 %). Ioná (registro indeferido) teve 4.128 votos (22,43 %) e Idalina Miranda (registro indeferido), 57 votos (0,31 %).

Nenhum comentário:

Postar um comentário