terça-feira, 4 de dezembro de 2012

A Democracia incomoda os Subversivos, Afirma Sindicalista


"Avanços nas LUTAS e na DEMOCRACIA incomoda os SUBVERSIVOS. Atualmente os companheiros do MST conseguiram seu espaço dentro da UEFS (Universidade Estadual de Feira de Santana) e isso, tem provacado  muito rancor, irá e ódio por parte dos conservadores da política brasileira. Esses, são alguns dos sentimentos que estão impregnado dentro do coração dos adeptos a política sanguinária do nosso País. Depois de anos de ferro onde predominava a concentração de renda nas mãos de alguns poucos e, após muitas desastrosas administrações por 500 anos de Brasil, o insucesso e a incapacidade de desenvolver políticas publicas,  fez com que a DIREITA reacionária agora apostasse todas as suas fichas nos factóides políticos que, junto com as distorções da "imprensa e  do STF às aversas" que, em muitos momentos conseguem confundir a população sobre o momento privilegiado em que o País vive e, na maioria das vezes insiste em tentar apagar a história dos verdadeiro atores que sempre estiveram a frente das LUTAS sociais defendendo os direitos a liberdade, distribuição de renda, autonomia e a democracia do nosso País". Comenta  o Sindicalista Derlan Queiroz
Avanços na LUTA  


A graduação em Direito para beneficiários da Reforma Agrária terá duração de dez semestres. As provas do processo seletivo foram aplicadas em 25 e 26 de novembro, das 8 às 13 horas, em Feira de Santana.
Essa foi a primeira turma especial de direito para beneficiários dos projetos de assentamento criados ou reconhecidos pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNFC). Participaram candidatos de diversos estados brasileiros, que disputam 40 vagas.
Com a oferta deste curso, “a Universidade cumpre o papel de oferecer ações de correção de justiça social e reconhece a história e a causa dos movimentos sociais”, conforme observa o reitor José Carlos Barreto. Ele ainda acrescenta que a UEFS vai oferecer um curso que possui o Selo de Qualidade da OAB.
Para a presidente da comissão de elaboração do projeto e também coordenadora do curso de Direito, Marília Lomanto, “com o curso a UEFS se consolida como espaço plural construído coletivamente através do diálogo com os movimentos sociais”.

Das 329 inscrições para esta turma especial, 153 foram validadas em conformidade com o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). Faltaram 23 candidatos, correspondendo a uma abstenção de 15%.
Com a oferta desse curso, que tem o selo de qualidade da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Uefs é a segunda instituição de ensino superior do país, a primeira do Nordeste, a aderir à proposta do Pronera, com a missão de ampliar os níveis de escolarização formal dos trabalhadores rurais assentados.
O resultado será divulgado ainda esta semana e as aulas começam em março de 2013. Até lá, a Uefs fará uma série de atividades de acolhimento, como seminários, envolvendo os aprovados e pessoas das comunidades que representam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário