quarta-feira, 13 de junho de 2012

SEVIDORES DA UFBA E UFRB PARAM NA PROXIMA SEXTA (15)

Os servidores técnicos administrativos da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) deflagraram greve na assembleia-geral da categoria, que ocorreu nesta segunda-feira (11), em Salvador. Os servidores mantêm as atividades até a quinta-feira (14), dia em que se inicia oficialmente a paralisação.
"Temos que respeitar a lei de greve, que prevê prazo de 72 horas para nos adequar e apresentar uma proposta para funcionamento dos hospitais universitários, considerados serviços essenciais", afirma Nadja Rabello, coordenadora-geral do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos da UFBA e UFRB (Assufba). De acordo com ela, juntas, as duas universidades possuem cerca de 4.200 profissionais, a grande maioria, 3.200, com atuação na UFBA.
Atualmente, o piso salarial da categoria é de R$ 1.096. O objetivo da greve é pressionar a abertura da negociação com o Governo Federal, por meio do Ministério do Planejamento, para a consolidação do plano de carreira com piso de três salários mínimos, além de aumento em 5% no benefício chamado Step. Pedem ainda racionalização de cargos e reposicioamento dos aposentados.
Segundo Nadja Rabello, a paralisação da categoria independe do movimento dos estudantes ou dos professores. "A nossa greve é desvinculada dos alunos. O movimento está estabelecido desde a greve do ano passado, que não houve acordo. A data limite para o Governo [Federal] apresentar uma proposta foi no dia 31 de maio. A partir de então, nós decidimos iniciar a paralisação", explica. Cerca de 450 pessoas, de acordo com a Assufba, votaram na assembleia. O movimento, que é nacional, é apoiado pela Fasubra (Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras).
As informações são do G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário