quinta-feira, 3 de maio de 2012

SUPERAR POBRESA É O GRANDE DESAFIO DO PAÍS, AFIRMA ESPECIALISTAS

A redução da pobreza e da desigualdade social no país vem sendo sustentada pelo êxito de sua economia, disse à Agência Brasil o presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Marcio Pocmann. Ele lembrou que a chave desse sucesso decorreu da implementação de políticas de transferência de renda.
Ao participar de seminário preparatório para a Rio+20, ele afirmou que, apesar dos êxitos obtidos, será muito difícil ao Brasil superar a pobreza extrema sem que sejam aprovadas no Congresso Nacional as reformas necessárias à manutenção do desenvolvimento, entre elas a tributária e a agrária.
O economista lembrou que existem ainda hoje, no país, cerca de 16,2 milhões de pessoas que vivem em situação de extrema pobreza – o que significa que elas vivem com apenas R$ 72 por mês, ou o equivalente a R$ 2 por dia.
“A estrutura fundiária do Brasil é hoje pior do que em 1920. Atualmente, 40 mil proprietários rurais concentram 50% das áreas agricultáveis do país. Também é preciso acabar com essa lógica perversa que impera no país, em que os mais pobres são exatamente os que pagam mais impostos”, denunciou.
O economista do Ipea lembra que o governo tem no Brasil Sem Miséria um importante aliado para obter êxito na redução da miséria extrema. “O programa é dividido três pilares importantes: transferência de renda, adoção de programas de educação e a universalização dos serviços do estado (acesso à energia elétrica, água encanada, habitação e uma série de serviços que são fundamentais principalmente para a parcela mais pobre da população), afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário