terça-feira, 15 de maio de 2012

GOVERNO APOSTA EM CHUVA ARTIFICIAL PARA TENTAR ALIVIAR A SECA

 O bombardeamento de nuvens pode ser alternativa para amenizar os prejuízos causados pela seca na Bahia. Considerada não poluente, a indução de chuva localizada consiste em semear água nas nuvens com potencial para chuva e acelerar o processo natural precipitando-as.
Diante do atual cenário no estado, o secretário da Agricultura, Eduardo Salles, se reuniu na segunda-feira (14) com o diretor-geral do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Júlio Mota, a diretora da empresa ModClima, Majory Imai, e presidentes de sindicatos rurais, buscando avançar na elaboração de um projeto-piloto, no valor de R$ 200 mil, para o mapeamento das regiões do Piemonte da Chapada Diamantina e sudoeste.
“Não queremos criar uma falsa expectativa, mas é uma experiência que não podemos deixar de fazer num momento como esse”, explicou Salles, afirmando que se o projeto-piloto for bem sucedido, essa primeira etapa poderá avançar até o mês de setembro. Se resultados forem significativos poderá ser celebrado um contrato de um ano.
A ModClima operou na Bahia e afirma que existem condições muito boas para realizar um trabalho de sucesso de longo prazo. O procedimento consiste na pulverização controlada de gotas, por meio de aeronaves equipadas com tanques de 300 litros de água potável, que fazem as nuvens concentrar alto índice de umidade e gerar a chuva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário