sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

PM ENTREGAM PAUTA DE REIVINDICAÇÃO EM REUNIÃO COM O ESTADO

Em uma reunião realizada nesta sexta-feira (3) entre representantes de seis associações que representam policiais militares da Bahia e o Governo do Estado, foi elaborada e entregue uma pauta de reivindicações ao Governo. A expectativa é de que, com isso, a resposta seja rápida, segundo o coronel Edmilson Tavares, representante da Associação dos Oficiais da Polícia Militar.
“Há vários itens para negociação. Entre os principais, está a implantação da GAP V (Gratificação de Atividade Policial Militar), disse”. Além das associações, estavam presentes na negociação Maurício Barbosa, secretário de Segurança Pública, e Robinson Almeida, secretário de Comunicação Social.
As associações que participaram da negociação não participam do movimento de paralisação da PM, segundo o coronel Edmilson Tavares, representante da Associação dos Oficiais da Polícia Militar, que ressalta que alguns de seus associados podem ter optado individualmente por paralisar as atividades. “A punição para estes policiais vai ficar a critério do Governo do Estado”, afirmou Tavares.

“Foram prevalentes, nas reivindicações, as questões econômicas e salariais. A partir desta pauta, teremos reuniões que começam nesta tarde (sexta-feira, 3) e continuam amanhã (sábado, 4), para chegarmos a um acordo”, afirmou o coronel Eleutério, subcomandante-geral da Polícia Militar da Bahia. Ele acredita que a reunião das associações e a consolidação da pauta são avanços. A pauta foi considerada legítima, considerou Eleutério, o qual afirmou que as associações envolvidas são representativas e defendem os interesses de todos os policiais militares do estado.
Próximo passoA próxima etapa da negociação é a participação das secretarias estaduais ligadas à esta questão, de acordo com o subcomandante e os representantes das associações. “Valores ainda serão discutidos nesta mesa. O governo rapidamente aceitou em receber esta pauta. Precisamos traduzir isso em uma coisa suportável para a sociedade que precisa de uma resposta imediata”, afirmou Eleutério.
Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário