domingo, 30 de outubro de 2011

INTEL ANUNCIA TABLET FEITO PARA SER USADO NAS ECOLAS BRASILEIRAS

Aparelho traz ferramentas para colaboração em classe. Intenção é que o Intel Learning Series Tablet seja fabricado no Brasil
A Intel fez uma demonstração, de um tablet feito para ser usado nas escolas brasileiras. O Intel Learning Series Tablet tem um sistema antifurto, permite o controle dos pais e colaboração em classe e é resistente a quedas.
O tablet permite, por exemplo, que o computador dos professores sejam integrado ao dos alunos. "A professora pode transmitir a tela dela para os computadores dos alunos", diz Fábio Tagnin, diretor de educação da Intel. "Ela também pode acompanhar os exercícios que os alunos estão fazendo."
O aparelho, que tem tela de 7 polegadas sensível ao toque, traz uma câmera frontal e uma traseira, entrada USB, conexão à rede 3G, Wi-Fi e Bluetooth. Segundo a Intel, as entradas são protegidas contra água e poeira. O tablet pesa 550 gramas e funciona com processador Intel Atom de 1 GHz.
A versão demonstrada funcionava com a versão Honeycomb, do sistema Android, do Google, mas, segundo a empresa, é possível instalar outros sistemas operacionais no aparelho.
A Intel anunciou que está conversando com fabricantes para definir quem irá produzir o tablet. A ideia é que ele chegue ao mercado brasileiro até o final do ano –um tablet de 10 polegadas deve chegar até o final de 2012. O preço ainda não foi definido, mas a ideia é que o tablet seja fabricado no Brasil.
Um computador por aluno
A intenção da Intel com o novo tablet é que ele posse ser integrado nas próximas fases do programa Um Computador Por Aluno (UCA). A empresa também fez parte da criação do Classmate PC, que fez parte do programa e já é usado por 5 milhões de alunos no mundo.
“Já existe uma movimentação no ministério da educação para reativar o UCA”, revela Fernando Martins, presidente da Intel Brasil. “Existe o programa e a intenção de continuação.”
Apesar da movimentação pelo aumento do número de computadores nas escolas, existem outras barreiras de infraestrutura nas escolas municipais, segundo Tagnin. “Uma das grandes barreiras é a falta de banda larga nas escolas. Além disso, devem ser feitos investimentos na rede elétrica e na infraestrutura de rede das escolas.”
A adoção do tablet nas escolas vai depender do modelo pedagógico das instituições e da série em que o aparelho será implantado, diz Tagnin. As informações são do G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário