sábado, 26 de fevereiro de 2011

PROTESTOS SE TRANSFORMA EM TERROR NA CIDADE DE VALENÇA


O prefeito de Valença, Ramiro Campelo de Queiroz, deixou a cidade no início da noite de quinta-feira (24), depois de um protesto popular contra a violência na cidade. A medida foi uma recomendação da polícia do município, para garantir a segurança e a integridade física do prefeito.
“Fui escoltado até o ferry boat, de onde segui para Salvador, por orientação da polícia. Minha casa é muito simples, sem muros, e fica muito exposta. Minha família ficaria suscetível”.O prefeito não nega a preocupação com a onda de violência na cidade. Com pouco mais de 88 mil habitantes, a cidade está entre os três municípios do interior baiano com o maior índice de violência, segundo Queiroz. “Temos enfrentado aqui muitos assaltos a mão armada, e alguns acabam em morte. Já estamos trabalhando para melhorar isso, e há um projeto para a urbanização da periferia. Porque com a péssima pavimentação, a ação policial fica mais difícil e as áreas se transformam em grandes esconderijos para os criminosos”, diz.
O protesto popular começou na tarde de quinta-feira. Segundo a polícia, moradores estariam insatisfeiros com o alto índice de violência na cidade e com a demora na liberação do corpo de um jovem vítima de latrocínio. Durante a manifestação, moradores depredaram a Câmara de Vereadores, a Prefeitura e pelo menos 12 estabelecimentos comerciais da cidade.
“A população estava protestando em frente à Câmara dos Vereadores, queimando pneus, e eles pediam mais segurança, além da contratação de um legista. Só que em um momento de euforia eles começaram a depredar a Câmara e estabelecimentos comerciais. Municípios vizinhos tiveram que mandar reforços para conter a manifestação”, diz o prefeito, que deve voltar a Valença ainda nesta sexta-feira (25).
Nesta manhã, de hoje segundo Ramiro Queiroz, “Vou aproveitar minha vinda a Salvador para me reunir com o governador. Vou relatar o que aconteceu ontem e solicitar apoio no combate à violência. É uma cidade turística e a situação da violência está fora de controle”. Informações: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário