terça-feira, 27 de dezembro de 2016

I º Congresso do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar de Feira de Santana-Bahia.

Na manhã desta terça-feira(27) , aconteceu a abertura do 1º Congresso do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar de Feira de Santana-Bahia.
A Congresso que tem como tema : ORGANIZAÇÃO SINDICAL E O FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR , acontece entre os dias 27 e 28 de dezembro no Anfiteatro do Módulo II , na Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS.

A Central Única dos Trabalhadores está participando e prestigiando da atividade , representada por Derlan Queiroz ( Secretário Estadual de Relações do Trabalho) Josenilton Ferreira Pereira ( Secretário de Organização e Política Sindical ), Conceiçao Borges ( Vice Presidenta ),Elisangela Santos Araujo ( Executiva da CUT Nacional) e Cedro Silva ( Presidente ). Além da CUT Bahia outras entidades estão participando e prestigiando o Congresso , a exemplo da APAEB, Rosival Leite (Fetraf Bahia, dentre outros). O Governo do Estado esteve representado por Wilson Dias da CAR , Edilza Reis da Bahiater e Jurema da Adab.
" Avalio como super positiva a decisão da diretoria do SINTRAF Feira por decidir em realizar seu Congresso dentro do Campus da Universidade; muito inteligente e providencial essa decisão, principalmente em um momento como este que o País está vivendo, faz mais que necessário a unidade da Classe Trabalhadora com a Academia" Comentou Derlan Queiroz ( Secretário Estadual de Relações do Trabalho da CUT Bahia). " Que sirva de exemplo para todos nós e, já proponho que as Plenárias da CUT e os próximos Congressos sejam realizados dentro de um Campus de uma UNIVERSIDADE" Finalizou o Sindicalista

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Temer mente: reforma enfraquecerá trabalhador

O peru de Natal este ano veio salgado, fora do ponto para a maioria dos brasileiros. Um dos ingredientes desse sabor ruim veio na forma do Projeto de Lei 6787/2016, apresentado pelo governo Temer no dia 22 de dezembro, conhecido como Reforma Trabalhista.
O sentido geral do projeto é baratear ainda mais o valor do trabalho dos brasileiros e brasileiras, garantindo aos empresários e especuladores em geral melhores condições de aumentar seus lucros.

domingo, 25 de dezembro de 2016

CUT/Vox Populi: LULA, o mais admirado e o melhor presidente do Brasil, é imbatível nas urnas, no primeiro e no segundo turno

Quem é o melhor presidente do Brasil? -  perguntou a CUT/Vox Populi ao povo. 43% cravaram o nome de Lula. Só 13% escolheram FHC. E quem você admira/gosta muito? Deu Lula de novo, com 33%.
Para Aécio Neves (PSDB-MG), sobraram meros 8%. Já a Geraldo Alckmin (PSDB-SP), seu desafeto, conseguiu um ponto a mais, 9%. Detalhe importante, 96% dos brasileiros responderam que ficaram sabendo que Lula foi indiciado pelos procuradores da Operação Lava Jato.
Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, os resultados da pesquisa CUT/Vox Populi mostram que “os brasileiros, mesmo os mais pobres e simples, têm discernimento, refletem e julgam racionalmente, não se deixam influenciar pela avalanche de denúncias sem provas e sensacionalismo da mídia conservadora”. 
É o que mostram também as respostas espontâneas e estimuladas sobre as eleições para presidente da República de 2018. Lula está à frente de todos os concorrentes em todas as simulações feitas no primeiro e no segundo turnos. Lula tem 31% das intenções de voto espontâneas. Bem atrás vem Aécio, com 5%; Marina Silva (Rede-AC), 4%; o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP), 3%; e Alckmin, com 2%.

sábado, 24 de dezembro de 2016

'Não vamos dar sossego a este governo', diz CUT sobre reforma trabalhista

Brasil de Fato – Após a chegada da reforma da Previdência ao Congresso Nacional, a próxima ameaça que bate à porta dos trabalhadores brasileiros pode ser encaminhada ainda esta semana ao Legislativo: a reforma trabalhista.
A pauta já movimenta sindicatos de trabalhadores, preocupados com o contexto de flexibilização de direitos. Mas, para eles, o perigo não projeta exatamente uma novidade: segundo levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), há mais de 60 matérias propondo retirada de direitos trabalhistas no Legislativo federal.
Tais iniciativas legislativas, somadas ao que o Planalto deve tentar implantar, podem resultar em: jornada de trabalho intermitente, com o trabalhador ficando inteiramente à disposição do patrão e recebendo pagamento apenas pelas horas trabalhadas, quando for recrutado; contratos temporários com validade de 180 dias; demissões mais baratas, com redução da multa do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); entre outras mudanças.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Trabalhador resgatado de condição análoga à escravidão recebe prêmio nacional

Em uma manhã banhada de chuva se deu nosso diálogo florido de anedotas, gargalhadas e reflexões. Considero que se houvesse uma “dose” também beberíamos, para brindar a vida e a chuva que há três dias regava sua roça. “A chuva é vida”, disse ele. Marinaldo Soares Santos, 44 anos, aprendeu com o pai a contar “braças de terras” e tendo esse saber, sentia-se incomodado quando percebia que seus companheiros eram enganados pelos empregadores. “Às vezes eu chegava e perguntava - rapaz, tu roçou quantas braças de terra? E o cara dizia: umas 50 braças. Eu olhava pra terra limpa e na verdade ele tinha roçado mais de 100, mas não sabia. Às vezes a gente tinha até medo de explicar pra eles.” Medo do patrão? Perguntei atento. ”Isso mesmo e de ser até morto pelo patrão”, respondeu pensativo.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Trabalhador vai ganhar de Natal jornada de 12 horas diárias

Temer assinará hoje (22) medida provisória estabelecendo um minirreforma da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Só pra gente lembrar, a CLT foi o principal marco legal que regulamentou as leis trabalhistas no Brasil, sancionada por Getúlio Vargas em 1943. Essa legislação é o maior instrumento de defesa da dignidade humana e garantia de direitos do trabalhador.

Morreu sem aposentar


A proposta de Roforma da Previudência proposta pelo governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) , traz vários prejuizos e retrocessos para os trabalhadores brasileiros.
Em suas charges ,Márcio Baraldi é conhecido como o “cartunista mais rock’n’roll” do Brasil por sua especialidade em retratar o mundo roqueiro. 
Desenhista desde a infância, é o maior vencedor de um dos mais importantes prêmios do gênero no país, o Prêmio Angelo Agostini, em que ele já venceu como melhor cartunista. Confira mais do seu trabalho em seu site:http://www.marciobaraldi.com.br

Jornada de 12 horas, férias parceladas, pausa de 30 minutos: o “pacote de bondades” de Temer

Cercado pela Lava Jato e surfando numa onda de impopularidade por conta da crise econômica não resolvida, Michel Temer decidiu tirar do bolso um presente de Natal de última hora aos entusiastas da CLT. Nesta quarta (22), o presidente anuncia uma reforma trabalhista via Medida Provisória, ou seja, que precisará de aprovação do Congresso, em 2017, para se tornar definitiva. Mas, até lá, já terá força de lei.

A revolta das elites brasileiras contra a redução das desigualdades

Com Temer no poder, País retoma politicas econômicas e sociais que aprofundam desigualdadesEscrito por: Marcio Pochmann*
A receita para a redução da desigualdade no capitalismo industrial pode ser sintetizado por três componentes principais. Especialmente a partir do final da segunda grande Guerra Mundial (1939 – 1945), os países industrializados convergiram para a constituição (1) do fundo público ampliado assentado na tributação progressiva, (2) do Estado de bem estar social de cobertura universal e (3) da regulação da relação entre o capital e o trabalho concomitantemente com o estabelecimento do pleno emprego.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Temer sofreu 'grande derrota' na votação da renegociação das dívidas estaduais, diz líder

A Câmara dos Deputados aprovou na tarde de ontem (20), por 296 votos a favor, 12 contra e três abstenções, o Projeto de Lei Complementar (PLP) 257/2016, mais conhecido como o projeto de renegociação das dívidas dos estados com a União. Para o líder do PT na Câmara, Afonso Florence (PT-BA), “o governo sofreu uma grande derrota”.
Isso porque o texto do Senado, aprovado no dia 14, que foi reavaliado pelos deputados, concedia moratória aos estados quebrados, mas estabelecia condicionantes pesadas, como privatização e demissão de servidores, não pagamento de reajuste e não progressão de carreira. Essas condicionantes foram acrescidas por determinação do Ministério da Fazenda.